domingo, 24 de julho de 2011

Sou Cigana - Domínio Cigano 2010


Aqui está o texto escrito por "FERNANDA FURINI", este foi parte da mostra de dança cigana 2010 apresentada na UBRO em Florianópolis em junho de 2010.
Quero apenas mostrar ao mundo o talento de nossa amiga Fernanda Furini, e agradecê-la pela riqueza de suas palavras e ajuda por acrescentar a beleza da poesia em nossos movimentos. Suas palavras foram interpretadas por Ana Paula, que hoje está brilhando nos palcos de São Paulo.


DOMÍNIO CIGANO
Escrito por Fernanda Furini


Debaixo de minhas cores, pulsa a cor mais vibrante...aquela que nem o sol ofusca! Sou cigana, a força viva em tempos de guerra, cuja arma é minha coragem e as palavras em busca de glória! Minha força anterior ensinou-me tudo que agora intuo. Vejam, nossa ancestral batalha continua. Por todos os lados abdomens com roupas coloridas procuram o mérito nas grandes metrópoles.
SOU CIGANAAAAA, e se grito, é para que meu grito seja a revelação deste infinito que eu trago encarcerado em minha alma.

O amor é como a torre que desponta na neblina...e que volta a ficar só, assim que essa se dissipa ... neblina não tem parada! Os amores são levados ao som do vento ansioso de partida... à vista do último e significativo olhar. Simples complexo compacto de momentos vividos, grandiosos, eternos em cada segundo. Os olhos marejados que recordam, mostram sabiamente quem verdadeiramente existiu.



Cigana... se atente para que seu coração não se parta na queda como a réplica barata de um raríssimo vaso.
Aquilo que é do mundo, livre como o ar, não poderá jamais ser enclausurado na breve arca de um peito humano por mais de alguns segundos.
Mantenha no coração o amor, assim como mantém nos pulmões o ar... absorva o necessário, mas deixe-o livre para voltar ao mundo...pois livre ele sempre será.
A cada um cabe juntar seus cacos, e transforma-los na obra mais pura de garra, pois são só seus!
A coragem abrirá as trilhas, que outrora por amor, foram ignoradas.
O sol renova a esperança quando a fogueira cessa.
Ir rumo indo, cantando as músicas que se perdem nos vôos do possível.
Na dança, os sapatos pisam os trajes negros que outrora a alma vestiu... deixe-os no chão!! As roupas agora são as de festa...vistimo-as!



Nas mãos, vejo o fim de um rumo, despencando em um precipício de lágrimas. Vejo com a nitidez de um punhal polido, a dor emaranhada na alma escorrendo pelo rosto.
Intuo o desfecho de uma sina evidente, marcada pelo término daquilo que não acaba.
O poder do amor que se manifestará de uma forma imprevista, ilegível...
Vejo a morte, em trajes pretos levantando-se contra as cores tão amadas... Mas no fim, levará apenas aquilo que o coração por si matar.
Eis que como uma fênix, das cinzas ressurge o amor amado! A morte, que não passa de aparência, não poderá jamais ser morte!

Veja... o futuro aguarda com suas cores, amassando o cinza do passado.
A vida, que ainda é vida, continua a pulsar no frenesi vibrante de um relógio quebrado. Ainda há tempo... muito tempo! É buscando o caminho certo que erraticamente encontraremos o descaminho mais feliz.
O porvir trará o florescer das vinhas, aplacará a síntese quente do fogo interno... ele ainda é a melhor de todas as certezas.

3 comentários:

  1. Foram muitas emoções vivenciadas por todas que participaram no palco e fora dele, na Mostra de 2010...
    Parabéns a escritora Fernanda, só temos a agradecer pelo texto que tornou ainda mais enriquecedor nossa apresentação.
    Setembro tá chegando com novos corações a mil para saber o quanto é bom estar no Domínio e poder participar de um momento tão especial como é uma mostra de dança.
    Abraço com carinho!

    ResponderExcluir
  2. Nilza Nelci Girolla27 de julho de 2011 11:05

    O texto da Fernanda é maravilhoso, contextualizado, magnificamente, no enredo da Mostra, pela professora Sílvia. Foi pura emoção aquela Mostra, também, assim como outros eventos o foram, pois, menores ou não, sempre estivemos presentes, de corpo e alma, em todos.
    DOMÍNIO, sempre DOMÍNIO!! Emoção à flor da pele!!!

    ResponderExcluir
  3. Realmente...maravilhoso e emocionante texto.
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir